Um post muito interessante e muito bem detalhado. Em um divórcio em que se vêem envolvidos menores de idade se deve minimizar, na medida do possível, a dor emocional que lhes pode causar. Eles não têm culpa que os seus pais não querem continuar com seu casamento e não devemos acusarles não tomá-los como escudo ou defesa. A criança deve sentir-se confortável e querido em todo momento, tem de ser normalizado tudo o que possa ser a situação e que não sofra. Uma saudação!